10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

N-Gage era um híbrido entre um telefone móvel e um console que apostava levar os jogos para os celulares. Fracassou dois anos antes do Smartphone.

dispositivos móveis viveram uma época de ouro com o Nokia, que nunca mais voltará. E não falamos de vanguarda tecnológica, mas sim a imortal série de telefones cúbicos, poligonais, e irredutíveis de telefonia móvel por aqueles tempos. Autênticos navios de guerra em nossos bolsos, que de estar em nossas mãos podiam se tornar a arma mais poderosa do mundo, indestrutíveis em comparação com os frágeis móveis de hoje em dia.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

Como excluir ou alterar a marca d’água das fotos de um telefone Xiaomi As marcas de água nas fotos podem ser moles...
Como alterar o código PIN do cartão SIM em um celular com Android Uma daquelas coisas a que custa a se ac...

é claro que é algo que nos lembramos com carinho, e com raiva quando o nosso Smartphone ou iPhone fenda com apenas olhá-lo, ou a obsolescência programada ceifa a vida de nossa bateria. Podíamos estar 7 horas e o percentual de nossa bateria continuava cheio, e se lhe caía no chão o recogías sem nenhum drama. Os nós de contexto, para que voltemos a essa maravilhosa época, precisamente em 2003, ou um pouco antes, a era dos gigantes da tecnologia móvel. E a concepção da primeira consola de jogos portátil da Nokia, além de telefone móvel.

N-Gage, é o nome do dispositivo que a Nokia projetado para conquistá-los a todos. Um console e um móvel, por favor!, era como reunir todas as nossas necessidades básicas em um insano aparelho. Seu nome não é nenhum tributo ou homenagem a Nicolas Cage, e hoje vamos contar dez detalhes dessa maravilha tirada de um livro de ficção-científica.

N-Gage, foi uma das primeiras consolas móveis que a empresa finlandesa lançou ao mercado internacional. Ao nascer, pesou 137 gramas, e tinha 2 cm de espessura. O teclado do celular aparece incorporado, ou traria mais bem para os lados do console. Muito mal comparado, tem o projeto de trapézio, de Game Boy Advance, ou seja, uma tela central, embora mais vertical, e os diferentes controles estendidos para os lados. E, além disso, era um telefone totalmente funcional. Como nos púnhamos na orelha, estava à escolha de cada usuário, mas por descobri-lo, não desbloquéabamos nenhum troféu.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

Os jogos vinham em cartuchos com o estranho handicap de ter que tirar a bateria para trocar de jogo, algo que foi resolvido com o segundo modelo do console, QD. Não tinha app store ou loja online para adquirir os jogos. Isso é 2003. Aqui os jogos são em físico ainda. E para isso devemos adquirir nossos jogos, através de um slot para cartões MMC. Os jogos, que posteriormente se comercializam formatos RS-MMC ou MMC de formato reduzido.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

Curso de cartões. A medida destes cartões para o N-Gage era de 24x18x14 mm, e era necessário um adaptador que completava seu tamanho para encajarlas em cartões MMC normais. Podiam acomodar até capacidade de 2 GB, que para a época, era algo mais do que o suficiente.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

N-Gage tinha uma capacidade de apenas 3,4 MB internos. É o que nos restava se retirarmos o que ocupava o sistema operativo, as aplicações pré-instaladas, e os cartões com as que adicionar jogos à nosso telefone superavam em grande medida, essa cifra. Contava com seu próprio sistema para portar jogos.

Rádio FM e precária navegação por Internet

Além de jogos da N-Gage contava com Rádio FM, com GPS e, claro, com Bluetooth. Permitia navegar na Internet, mas apenas em formato WAP. Isto é, para Wireless Application Protocol, um padrão de conexões sem fio, naquele momento, que tentava normalizar o acesso à Internet através de telefones celulares. Podíamos ver o nosso e-mail, notícias, ou baixar politonos e outros arquivos de mídia. Muito 2003.

A tela de N-Gage, é de 2, 1 polegadas com uma resolução de 208×176 pixels, tornando-se assim, na primeira aposta direta por um mercado de telefonia móvel e consoles portáteis que se adiantou ao seu tempo. Nintendo contava com seu Game Boy, que não era nenhum telefone, a Sega teve Game Gear, e a Nokia, o N-Gage.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

É considerada e incluída dentro do grupo de móveis denominados como Smartphone. É dizer, os que todos temos hoje em dia, mas em 2003. N-Gage veio com o sistema operacional Symbian 6.1, , bem como a camada de personalização de series 60, a que pertencia em sua primeira versão. E, além disso, era um console.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

catálogo de jogos é mais amplo o que você acha, e a sua qualidade, também. E é que em seu catálogo contavam juegazos como: Crash Nitro Kart, Rayman 3, Spider-Man 2, Splinter Cell: Chaos Theory, Tomb Raider, Ashen.. ou seja, podia puxar mais do que a sua aparência para o dia de hoje possa parecer. Os jogos eram, claro, a cor, e você também pode jogar jogos em 3 dimensões. Vamos lá, que não era para jogar Snake.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

Foi anunciada em 4 de novembro de 2002, com o objetivo de competir contra a Game Boy Advance, seu principal rival. E sua suposta vantagem de ser também um telefone móvel. No entanto, nunca conseguiu alcançar o impacto que esperava, e sempre foi referido como o “taco phone” , por seu tamanho, e por lembrar um taco mexicano.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

Nokia chegou a lançar um segundo modelo de N-Gage, N-Gage QD, que tentava resolver os problemas do projeto tão tosco do original, no entanto, continuou a agravar o fracasso comercial de uma empresa que estava destinada a perder muito em breve o seu reinado de telefonia, quando tentou se lançar ao de consoles.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia

Nada mais longe, por muito peculiar e que vos possa parecer, pense nisso como conceito, a idéia, mais que o resultado final. Seu potencial era incomportável, e estava antecipando que a gente iria jogar durante horas, mais de 5 minutos, para jogos de celular. Ainda não tinha Dokkan Batalha, nem Clash Royale, mas Nokia soube saber que chegariam. O problema é que o que desenvolveram não era atraente, nem prático, como telefone, e consiste em dar forma a um conceito no meio do caminho que procurava competir a qualquer custo com um fenômeno mais do que com outro console. Ou seja, o Game Boy.

em 26 de novembro de 2005, foi abandonada oficialmente o N-Gage. Um ano e dois meses depois, Apple apresentava o iPhone. Quatro anos depois, Angry Birds se tornaria o primeiro de muitos grandes fenômenos de vídeo móvel.

10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia
Phoneia

Bibliography ►
Phoneia.com (March 30, 2019). 10 detalhes curiosos de N-Gage, o visionário fracasso da Nokia. Recovered from https://phoneia.com/pt/10-detalhes-curiosos-de-n-gage-o-visionario-fracasso-da-nokia/